Aneurisma cerebral

Aneurisma cerebral é a dilatação anormal de uma artéria que irriga o cérebro, geralmente localizado nos pontos em que ela se bifurca (mais frágeis). Pode se romper e causar uma hemorragia cerebral ou permanecer sem estourar durante toda a vida. Os aneurismas também podem ocorrer em qualquer artéria do corpo, como as de coração, rim e abdômen. Os do tipo cerebral e da aorta torácica e abdominal apresentam altas taxas de mortalidade.

CAUSAS
O aneurisma surge pelo enfraquecimento ou defeito da parede arterial. A pessoa pode nascer com o problema ou adquiri-lo com o passar do tempo, a partir de fatores como hipertensão (não controlada com medicamentos), tabagismo ou traumatismo (golpes ou ferimentos penetrantes na cabeça).

SINTOMAS
No cérebro, surgem sinais geralmente quando há ruptura. Em alguns casos, ocorre um sangramento inicial no cérebro, acompanhado de dor de cabeça súbita e intensa, antes do rompimento definitivo. Esta é a hora de procurar uma emergência.

FATORES DE RISCO
Os dois principais fatores de risco para formação e/ou ruptura de um aneurisma são o fumo e a pressão alta não controlada. Doenças que aumentam o risco de fragilidade das artérias cerebrais, como as do colágeno (síndromes de Marfan e de Ehler Danlos) e a doença renal policística, também influenciam.

PREVENÇÃO
Avaliação o mais cedo possível de pessoas que tenham dois ou mais familiares com histórico de aneurisma rompido, além de controle da hipertensão arterial, não fumar, não beber em excesso e/ou usar drogas. O risco é menor para quem tem apenas um caso familiar.




*Fontes: Clovis Roberto Francesconi, neurologista do Hospital Moinhos de Vento; Luiz Carlos de Alencastro, chefe do Serviço de Neurocirurgia do Hospital Mãe de Deus e presidente da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia; Sheila Cristina Ouriques Martins, neurologista e coordenadora da Rede Brasil AVC